Revista de Indias, Vol 76, No 266 (2016)

La Guerra de los Cabanos. Participación indígena en la formación del Estado nacional brasileño en el siglo XIX. Provincias de Pernambuco y Alagoas (1832-1835)


https://doi.org/10.3989/revindias.2016.004

Mariana Albuquerque Dantas
Universidad Federal Fluminense, Brasil

Resumen


El presente artículo tiene por objetivo analizar la participación en la Guerra de los Cabanos (1832-1835) de los indígenas provenientes de dos aldeas localizadas en las provincias de Pernambuco y Alagoas. Iniciada la revuelta por miembros de las elites regionales defensoras del regreso de Pedro I al trono brasileño, su estudio permite comprender algunas de las dimensiones de la participación política india en momentos cruciales de la formación del Estado nacional.

Palabras clave


revuelta; indígenas; aldeas; territorios; Estado nacional; Brasil

Texto completo:


PDF

Referencias


Almeida, Luiz Sávio de, “Memorial biographico do capitão de todas as matas”, Tese (doutorado), Recife, Universidade Federal de Pernambuco, 1995.

Almeida, Luiz Sávio de (org.), Os índios nas falas e relatórios provinciais de Alagoas, Maceió, Edufal, 1999.

Almeida, Maria Regina Celestino de, Metamorfoses indígenas: identidade e cultura nas aldeias coloniais do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Arquivo Nacional, 2003.

Almeida, Maria Regina Celestino de, “Índios, missionários e políticos: discursos e atuações político-culturais no Rio de Janeiro oitocentista”, Rachel Soihet, Maria Fernanda Bicalho y Maria de Fátima Gouvêa (orgs.), Culturas políticas: ensaios de história cultural, história polítca e ensino de história, Rio de Janeiro, Mauad, 2005: 235-258.

Almeida, Maria Regina Celestino de, “Populações indígenas e Estados nacionais latino-americanos: novas abordagens historiográficas”, Cecília Azevedo y Ronald Raminelli, História das Américas: novas perspectivas, Rio de Janeiro, Editora FGV, 2011: 105-133.

Almeida, Rita Heloísa de, O Diretório dos Índios: um projeto de civilização no Brasil do século XVIII, Brasília, Editora Universidade de Brasília, 1997.

Andrade, Manuel Correia de, A Guerra dos Cabanos, Recife, Ed. Universitária da UFPE, 2005.

Andrade, Manuel Correia de, A terra e o homem no Nordeste: contribuição ao estudo da questão agrária no Nordeste, São Paulo, Cortez, 2011, 8a ed.

Barbosa, Wellington, “Entre a liturgia e o salário: a formação dos aparatos policiais no Recife do século XIX (1830-1850)”, Tese (doutorado), Recife, Universidade Federal de Pernambuco, 2003.

Bello, Ruy de Ayres, Breve história do município de Barreiros, Recife, Prefeitura Municipal de Barreiros, 1984.

Carvalho, Alfredo de, “As carneiradas: episódios da Guerra dos Cabanos, 1834-1835”, Leonardo Dantas Silva (org.), A República em Pernambuco, Recife, Fundaj/ Editora Massangana, 1990: 131-156.

Carvalho, Marcus, “Os índios de Pernambuco no ciclo das insurreições liberais, 1817/1848: ideologias e resistência”, Revista da Sociedade Brasileira de Pesquisa Histórica, 111 (Curitiba, 1996a): 51-69.

Carvalho, Marcus, “O quilombo de Malunguinho, o rei das matas de Pernambuco”, João José Reis y Flávio dos Santos Gomes (orgs.), Liberdade por um fio: história dos quilombos no Brasil, São Paulo, Companhia das Letras, 1996b: 407-432. PMid:8756814

Carvalho, Marcus, “Movimentos sociais: Pernambuco (1831-1848)”, Keila Griberg y Ricardo Salles (orgs.), O Brasil Imperial, volume II: 1831-1870, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2009: 121-184.

Carvalho, Marcus, “Um exército de índios, quilombolas e senhores de engenho contra os ‘jacubinos’: a Cabanada, 1832-1835”, Mônica Duarte Dantas (org.), Revoltas, motins, revoluções: homens livres pobres e libertos no Brasil do século XIX, São Paulo, Alameda, 2011: 167-200.

Costa, F. A. Pereira da, Anais Pernambucanos, Versão em CD encarte de Folk-lore pernambucano: subsídios para a História da poesia popular em Pernambuco, Recife, CEPE, 2004.

Cunha, Manuela Carneiro da (org.), Legislação indigenista no século XIX: uma compilação, 1808-1889, São Paulo, Edusp/ Comissão Pró-índio de São Paulo, 1992.

Dantas, Mariana Albuquerque, Dinâmica social e estratégias indígenas: disputas e alianças no aldeamento do Ipanema (1860-1920), Niterói, Dissertação (mestrado)- Universidade Federal Fluminense, 2010.

Dantas, Mônica Duarte, “Epílogo - Homens livres pobres e libertos e o aprendizado da política no Império”, Mônica Duarte Dantas (org.), Revoltas, motins, revoluções: homens livres pobres e libertos no Brasil do século XIX, São Paulo, Alameda, 2011: 511-564. PMid:22096118 PMCid:PMC3289425

Flory, Thomas, El juez de paz y el jurado en el Brasil imperial, 1808-1871. Control social y estabilidad política en el nuevo Estado, México, Fondo de Cultura, 1986.

Fraquet, Ivana y Slemian, Andrea (orgs.), De las independências ibero-americanas a los estados nacionales (1810-1850): 200 años de historia, Madrid/Frankfurt, Vervuert/Iberoamericana, 2009.

Gomes, Flávio dos Santos, Palmares: escravidão e liberdade no Atlântico Sul, São Paulo, Contexto, 2005.

Graham, Richard, Clientelismo e política no Brasil do século XIX, Rio de Janeiro, Editora UFRJ, 1997.

Irurozqui, Marta, “El bautismo de la violencia. Indígenas patriotas en la revolución de 1870 en Bolivia” Josefa Salmón y Guillermo Delgado (eds.), Identidad, ciudadanía y participación popular desde la colonia al siglo XX, Bolivia, Plural editores, 2003: 115-150.

Irurozqui, Marta (org.), “Presentación”, Dossier: “La institucionalización del Estado en América Latina. Justicia y violencia política en laprimera mitad del siglo XIX”, Revista Complutense de História. 37 (Madrid, 2011): 15-25.

Irurozqui, Marta y Galante, Miriam (eds.), Sangre de ley: justicia y violência en la institucionalización del Estado en América Latina, siglo XIX, Madrid, Ediciones Polifemo, 2011.

L’estoile, Charlotte de Castelnau, Os operários de uma vinha estéril: os jesuitas e a conversão dos índios no Brasil (1580-1620), Bauru, São Paulo, Edusc, 2006. Lindoso, Dirceu, A utopia armada: rebeliões de pobres nas matas do Tombo Real, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1983.

Lopes, Fátima Martins, “Em nome da Liberdade: as vilas de índios do Rio Grande do Norte sob o Diretório Pombalino no século XVIII”, Tese (Doutorado) – Programa de Pós-Graduação em História, Recife, Universidade Federal de Pernambuco, 2005.

Medeiros, Ricardo Pinto de, “Política indigenista do período pombalino e seus reflexos nas capitanias do norte da América portuguesa”, João Pacheco de Oliveira (org.), A presença indígena no Nordeste: processo de territorialização, modos de reconhecimento e regimes de memória, Rio de Janeiro, Contra Capa, 2011: 115-144.

Mello, Evaldo Cabral de, A outra independência: o federalismo pernambucano de 1817 a 1824, São Paulo, Ed. 34, 2004.

Mello, Lorena Ferreira de, São Miguel de Barreiros: uma aldeia indígena no Império, Recife, Dissertação (Mestrado) Universidade Federal de Pernambuco, 2006.

Monteiro, John, Negros da terra: índios e bandeirantes nas origens de São Paulo, São Paulo, Companhia das Letras, 1994.

Moreira, Vânia Maria Losada, “Os índios e o Império: direitos sociais e agenciamento indígena”, Comunicación presentada en el XXV Simpósio Nacional de História da ANPUH, Simpósio Temático 36: Os índios na História. Julio de 2009. Disponible en http://www.ifch.unicamp.br/ihb/Trabalhos/ST36Vania.pdf (Fecha de consulta: marzo de 2015).

Morel, Marco, O período das Regências (1831-1840), Rio de Janeiro, Jorge Zahar, 2003.

Oliveira, João Pacheco de, “O nosso governo”: os Ticuna e o regime tutelar, São Paulo, Brasília, Marco Zero/MCT/CNPq, 1988.

Oliveira, João Pacheco de, “Uma etnologia dos ‘índios misturados’? Situação colonial, territorialização e fluxos culturais”, João Pacheco de Oliveira (org.), A Viagem da Volta: Etnicidade, Política e Reelaboração Cultural no Nordeste Indígena, Rio de Janeiro, Contra Capa, 2004: 13-42. 2a ed.

Oliveira, João Pacheco de, “Os indígenas na fundação da colônia: uma abordagem crítica”, João Fragoso y Maria de Fátima Gouvêa (orgs.), O Brasil Colonial. 1443- 1580, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2014: 167-228.

Perrone-Moisés, Beatriz, “Índios livres e índios escravos. Os princípios da legislação indigenista do período colonial (séculos XVI a XVIII)”, Manuela Carneiro da Cunha (org.), História dos Índios no Brasil, São Paulo, Companhia das Letras, Secretaria Municipal de Cultura, Fapesp, 2002: 115-132.

Puntoni, Pedro, A guerra dos bárbaros: povos indígenas e a colonização do sertão nordeste do Brasil, 1650-1720, São Paulo, Hucitec, Editora da Universidade de São Paulo, Fapesp, 2002.

Raminelli, Ronald J., “Nobreza indígena – os chefes potiguares, 1633-1695”, João Pacheco de Oliveira (org.), A presença indígena no Nordeste: processo de territorialização, modos de reconhecimento e regimes de memória, Rio de Janeiro, Contra Capa, 2011: 47-68.

Reis, João José y Gomes, Flávio dos Santos, Liberdade por um fio: história dos quilombos no Brasil, São Paulo, Companhia das Letras, 1996.

Sampaio, Patrícia, “Política indigenista no Brasil imperial”, Keila Grinberg y Ricardo Salles (orgs.), O Brasil Imperial, vol. I: 1808-1831, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2009: 175-206.

Schwartz, Stuart, “Repensando Palmares: resistência escrava na colônia”, Escravos, roceiros e rebeldes, Bauru, Edusc, 2001: 219-260. PMid:11153267

Schwartz, Stuart, Segredos Internos: engenhos e escravos na sociedade colonial, 1550-1835, São Paulo, Companhia das Letras, 2011.

Silva, Edson Hely, “O Lugar do Índio. Conflitos, esbulhos de terras e resistência indígena no século XIX: o caso de Escada-PE (1860-1880)”, Recife, Dissertação (mestrado), Universidade Federal de Pernambuco, 1995.

Silva, Wellington Barbosa da, “Entre a liturgia e o salário: a formação dos aparatos policiais no Recife do século XIX (1830-1850)”, Recife, Tese (doutorado), Universidade Federal de Pernambuco, 2003.

Vellasco, Ivan de Andrade, “Clientelismo, ordem privada e Estado no Brasil oitocentista: notas para um debate”, José Murilo de Carvalho y Lúcia Maria Bastos Pereira das Neves, (orgs.), Repensando o Brasil do oitocentos: cidadania, política e liberdade, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2009.

Vieira, Geyza Kelly Alves, “Entre perdas, feitos e barganhas: a elite indígena na capitania de Pernambuco, 1669-1732”, João Pacheco de Oliveira (org.), A presença indígena no Nordeste: processo de territorialização, modos de reconhecimento e regimes de memória, Rio de Janeiro, Contra Capa, 2011: 69-90. PMid:20116947

Willeke, Frei Venâncio, “Missão de São Miguel de Una”, Revista de História, 79 (São Paulo, 1969): 209-219.

Willeke, Frei Venâncio, Missões Franciscanas no Brasil (1500-1975), Petrópolis, Vozes, 1974. PMid:4415787




Copyright (c) 2016 Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC)

Licencia de Creative Commons
Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.


Contacte con la revista revindias.cchs@cchs.csic.es

Soporte técnico soporte.tecnico.revistas@csic.es